Ediléia Daniele Ferreira Lira, 33 anos, faleceu no último domingo (13) após cirurgia plástica. Ela sofreu uma parada cardíaca e não resistiu. Ediléia se submeteu a uma lipoescultura e mamoplastia (redução do seio). A cirurgia foi realizada nas instalações do Hospital Militar, porém conduzida por uma equipe do Programa Plástica para Todos, que oferece cirurgias a preços mais baixos que os praticados no mercado.

O Programa aluga o centro cirúrgico do hospital há um mês e vem realizando cirurgias no local. Ediléia teria saído da cirurgia estável, mas passou mal na recuperação. Foi atendida pela UTI móvel que estava no local, levada para o Hospital Sotrauma, mas não resistiu. O Hospital Militar não possui UTI, e segundo o diretor da unidade coronel Kleber Duarte, os procedimentos ali realizados pelo Programa não exigiam tal instalação.

O hospital reforçou que não tem ligação com o programa de cirurgias populares e somente aluga suas instalações para a realização das cirurgias. A polícia aguarda o laudo do Instituto Médico Legal apontando a causa da morte para definir quem será responsável pelo caso.

 

Imagem destacada: Arquivo Pessoal.

Por Bárbara Muller.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, digite seu comentário
Por favor, digite seu nome aqui