O relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) recomenda aprovar com ressalvas as contas do Governo Federal relativas ao ano de 2017. O parecer foi apresentado pelo ministro Vital do Rêgo e deve ser votado pelos outros ministros. Segundo o relator, o documento traz 22 recomendações e 4 alertas referentes às contas do ano passado. Após a votação do tribunal, o parecer deve ser encaminhado para o Congresso Nacional, que é responsável por aprovar ou não as contas do governo.

Vital do Rêgo criticou as renúncias fiscais concedidas, que somaram R$ 354,7 bilhões, correspondendo a 5,4% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil no ano passado. Além disso, o ministro aponta que a maior parte das renúncias fiscais foram feitas na região mais rica do país, o Sudeste. O ministro também afirma que o Governo deve adotar novas políticas públicas para controlar os gastos públicos, e a PEC do teto de gastos poderá paralisar serviços públicos no país. A projeção mostra que as despesas com Previdência e pessoal têm crescido, exigindo cortes de outras áreas como saúde, educação e manutenção dos serviços públicos. Nos próximos anos, conforme os gastos com pessoal aumentam, será preciso promover ainda mais cortes para manter as contas abaixo do teto.

Uma pesquisa do Datafolha divulgada esta semana mostra que 72% dos entrevistados acham que a situação ecoNômica do Brasil piorou nos últimos meses. Michel Temer tentou defender sua gestão na tarde desta terça-feira (12), durante a assinatura da regulamentação do código da mineração, no Palácio do Planalto. O presidente afirmou que os avanços na área não estão sendo bem divulgados e que em seu mandato várias reformas que estavam “paradas” foram aprovadas.

Imagem destacada: Divulgação.

Deixar uma resposta

Entre com seu comentário!
Por favor, entre com seu nome aqui.