ABDI realiza projetos de desenvolvimento industrial em Mato Grosso


A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) esteve presente no Seminário Indústria Forte Estado Forte que acontece na ExpoVarejo 2018, no Centro de Eventos do Pantanal. O seminário está sendo promovido pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sedec MT). Durante conversa exclusiva com o Leiagora, Eduardo Rezende, especialista e integrante da equipe de coordenação de comércio e serviços da ABDI, explicou os projetos que a Agência realiza em Mato Grosso.

Rezende cita três projetos que fazem parte da RENAPI- Rede Nacional de Política Industrial. O primeiro é executado na região de Sorriso (400 km de Cuiabá) e trabalha com o aproveitamento de resíduos da agroindústria. A região é grande produtora de grãos e os resíduos dessa produção podem ser transformados em biomassa, uma matéria orgânica utilizada na produção de energia.  A agência também está trabalhando para implementar esse manejo de resíduos na piscicultura. O objetivo é usar a tecnologia para que os frigoríficos de peixes façam o descarte adequado de subprodutos como o sangue, evitando a degradação ambiental.

Esse desenvolvimento sustentável está em sintonia com o que foi defendido por Leopoldo Rodrigues de Mendonça, Secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico. Na solenidade de abertura, o secretário afirmou que o governo pretende fortalecer a industrialização, porém com sustentabilidade e responsabilidade social. No discurso ele também apontou critérios determinantes para a instalação de novas indústrias, incluindo a existência de matéria prima, mão de obra qualificada e existência de mercado consumidor. Esses critérios também são avaliados pela ABDI, que investe em projetos ligados ao agronegócio, vocação natural de Mato Grosso.

Outro projeto desenvolvido pela Agência é o da promoção da manufatura enxuta, dando consultoria para empresas mato-grossenses visando uma melhora da linha de produção. Dessa forma, o empresário conta conta com especialistas que indicam pontos onde é possível melhorar e cortar custos, aumentando a produtividade e tornando o produto final mais competitivo. O terceiro projeto está em fase de licitação. Segundo Rezende, a Agência vai buscar o estabelecimento da indicação geográfica do Pintado da Amazônia. Os produtos com essa indicação possuem uma identidade própria no mercado, agregando valor e uma reputação que o diferencia de produtos similares. O especialista afirma que esse registro não vai beneficiar somente os piscicultores mato-grossenses. “Estamos falando de marketing para região, de estímulo ao turismo local”, afirma.

O desenvolvimento e fortalecimento da indústria em Mato Grosso continuarão a ser debatidos em palestras e painéis durante a tarde desta sexta-feira, na ExpoVarejo 2018. O Seminário irá abordar oportunidades de negócios com o Canadá, e também o futuro da agroindústria.

Imagem destacada: Wikimedia Commons.

Direto da Redação, Bárbara Muller.

6 recomendado
comments icon 0 comentários
bookmark icon

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *