Fórum Agro MT recusa reedição do Fethab apresentado pelo governador

11 de janeiro de 2019


Integrantes que compõem o Fórum Agro MT recusam a proposta da reedição do Fundo Es­ta­dual de Trans­portes e Ha­bi­tação (Fethab),  imposta pelo governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM) e apresentada na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) nesta última quinta-feira (10). O comunicado foi entregue no início da tarde desta sexta-feira (11) após uma reunião com a equipe técnica que compõe o Fórum.

O chefe do Executivo esteve reunido com as lideranças do Agro na última terça-feira (08), que na oportunidade apresentou o projeto que foi aportado na ALMT. Neste encontro, foi proposto ao governador que a reedição do Fethab, aguardasse o parecer técnico do setor, que de imediato reprovou a proposta apresentada.

Leia mais: ALMT re­cebe pa­cote de pro­jetos do Exe­cu­tivo e de­li­bera sobre au­to­nomia fi­nan­ceira de Mauro

Governador não segue ori­en­ta­ções do Fórum Agro MT e pro­posta do Fethab será pro­to­co­lada nesta quinta

Com o parecer contrário da equipe técnica, que é formado por entidades como Famato, Aprosoja, Ampa, Acrimat, Acrismat e Aprosmat, uma contraproposta do setor ao projeto será apresentada na próxima segunda-feira (14/01) ao governador, assim como aos deputados estaduais, que já estão em posse dos projetos.

O presidente da Famato e do Fórum Agro MT, Normando corral, afirma que a nova proposta de reedição do Fethab não leva em consideração o impacto causado no setor do agronegócio.

“[A proposta] Foi feita para fechar as contas do governo e não podemos ficar a todo momento a mercê de decisões para cobrir o rombo do estado. O governo é novo, mas o estado é o mesmo. Até agora não ouvimos propostas para realmente acabar com o crescimento dos gastos. Na próxima semana vamos apresentar para o governo a nossa contraproposta”, afirmou Normando.

De acordo com o Projeto de Lei, o fundo passará a incidir sobre as operações de exportações e, além da soja, algodão, madeira e gado em pé, outros produtos primários como o milho, cana de açúcar e a carne para exportação também serão taxados. Mais da metade da finalidade do fundo, que até então era para obras de infraestrutura em estradas, será destinada para outros investimentos do governo.

O setor produtivo rural discorda da proposta de unificação das versões Fethab e Fethab 2, do prazo de permanência do imposto e do acréscimo da cobrança sobre as demais culturas.

Direto da Redação, Bruno Barreto

4 recomendado
comments icon 0 comentários
bookmark icon

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *