“Isso aí é coisa de Pedrinho”, afirma Zeca Viana sobre Operação Deja vú

3 de agosto de 2018


O deputado estadual Zeca Viana (PDT) conversou nesta sexta-feira (3) com a equipe do Portal Logo Leiagora sobre o fato de ter seu nome envolvido na “Operação Deja vú”, desencadeada na quinta-feira (02) para apurar desvios de mais de R$ 500 milhões com esquema de supostas notas frias para prestação de contas. A operação foi desencadeada um dia após o retorno dos trabalhos legislativos, no qual foi proposto a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o envolvimento de autoridades do Poder Executivo, do Judiciário e do Ministério Público no crime que ficou nacionalmente conhecido como “grampolândia pantaneira”.

Ao ser questionado se a operação seria uma retaliação política por conta da criação da CPI e praticamente às vésperas das eleições, Zeca, que faz parte do grupo de oposição ao Governo, foi enfático. “Acho que a gente tem que esperar de tudo do lado de lá. Isso aí é coisa de Pedrinho, eu não tenho nem dúvidas disso. Isso é coisa da movimentação política. E podemos nos preparar que vai vir muito mais coisas. São maquiavélicos e espertos demais”, declara Zeca Viana.

O deputado estadual ainda afirma que não tem conhecimento do teor da investigação e que apenas soube do seu nome envolvido pela imprensa. “Tem lá o meu nome envolvido, eu não sei o que aconteceu e eu quero deixar o Ministério Público apurar primeiro. Só que eu não vou deixar passar como deixei passar lá no início que me acusaram de mandante, de matador, em que o Ministério Público (MP) e a Polícia Civil me investigaram e depois arquivaram o processo. Só que não divulgaram quem foram os mandantes. Agora, [neste caso] quero deixar eles trabalharem, mas eu quero saber quem que foi que envolveu meu nome, eu não estou sabendo porque meu nome está envolvido, fiquei sabendo pelo jornal”, assegura o pedetista.

Durante a entrevista sobrou críticas até para a ex-juíza Selma Arruda, pré-candidata ao Senado pelo Partido Socialista Liberal (PSL) e que está no arco de aliança da pré-candidatura do governador Pedro Taques à reeleição. “A juíza [Selma] está envolvida lá naquele depoimento que eles montaram também falsa denúncia de que Riva [ex-deputado estadual] e ex-governador Silval queriam matar ela. Ela é do mesmo estilão de Pedro Taques. Não tem nada de diferente”,

CPI DOS GRAMPOS – A deputada Janaína Riva (MDB) que está a frente da propositura de criação da CPI garantiu já contar com oito assinaturas para abrir Comissão Parlamentar de Inquérito. O pedido deverá ser apresentado em Plenário na próxima terça-feira (7).

Alguns deputados estaduais já se posicionaram contrário a criação da CPI, principalmente no período eleitoral. Para Zeca Viana, o posicionamento não é válido. “Você pode ser da base do Governo, mas você tem que ser coerente com a situação do estado. Eles são da base e esquecem do estado”, rechaçou Viana.

 

Direto da Redação, Sandra Costa

9 recomendado
comments icon 0 comentários
bookmark icon

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *