Redução das taxas de juros é a maior atratividade do plano safra, diz secretário


De acordo com o levantamento mensal realizado pelo Departamento de Crédito de Estudos Econômicos da Secretaria de Política Agrícola divulgados no Portal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), foram contratados no primeiro bimestre do Plano Agrícola e Pecuário 2018/2019, 45% a mais de crédito agrícola no comparativo com a safra anterior. Com isso, os valores chegaram a R$ 34,1 bilhões, com 129.155 operações.

Para as 111.245 operações de custeio, foram liberados R$ 20,8 bilhões de crédito, ou seja um acréscimo de 35%. O desembolso é o maior dos últimos cinco anos, já que na safra 2014/15 foram R$ 25,5 bilhões; em 2015/16 foram R$ 26,6 bilhões; na safra seguinte R$ 19,5 bilhões; e na safra passada, R$ 23,6 bilhões.

Segundo o secretário de Política Agrícola, Wilson Vaz de Araújo, os bons números são reflexo das expectativas do produtor rural em relação ao comportamento do mercado agrícola. “Há recursos disponíveis e os produtores recorrem ao crédito para aproveitar oportunidades de negócios. Considerando que não alteramos o limite de custeio, a maior atratividade por esses recursos foi a redução das taxas de juros”, disse via assessoria.

Direto da Redação, Bruno Bortolozo

8 recomendado
comments icon 0 comentários
bookmark icon

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *