Setor algodoeiro reclama de aumento de 200% e falta de diálogo

10 de janeiro de 2019


A Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa), emitiu uma nota à imprensa no final da tarde desta quinta (10), se posicionando contra ao projeto de lei que altera o  Fundo de Transporte e Habitação (Fethab), entregue hoje à Assembleia Legislativa.

Conforme o setor, o governador Mauro Mendes (DEM) se recusou a discutir a proposta que altera o Fethab.  O novo Fundo prevê um aumento de  10,23% da UPF para 200% do valor da UPF sobre a tonelada do algodão transportado.

A classe irá recorrer aos deputados estaduais para apresentar e mostrar a realidade dos números do setor produtivo.

A nota assinada pelo presidente da entidade, Alexandre Schenkel, cita que o Fórum Agro MT solicitou um prazo para analisar o novo Fethab, porém, foram ignorados.

Na mensagem, o governador sugere à aqueles que não queiram pagar o novo Fundo, que optem pelo Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS).

Leia íntegra da nota 

Sobre o projeto de lei que altera o Fundo de Transporte e Habitação (Fethab), entregue pelo governador Mauro Mendes (DEM) na Assembleia Legislativa, nesta quinta-feira (10), a Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa) esclarece que:

– O governador Mauro Mendes se recusou a discutir sobre a proposta de alteração do Fethab com o setor produtivo.

– A única reunião promovida com o Fórum Agro MT, nesta semana, teve o objetivo apenas de comunicar o envio dos projetos à Assembleia Legislativa, sem nenhuma possibilidade de abertura de diálogo.

– Na ocasião, os componentes do Fórum Agro MT pediram um prazo para analisar a proposta, o que foi ignorado pelo governador, que já protocolou o documento, empurrando a discussão para a Assembleia Legislativa, sem ao menos ouvir o setor.

– A Ampa vai procurar todos os deputados estaduais para apresentar e mostrar a realidade dos números do setor produtivo, situação que o Governo do Estado não quis em momento algum dialogar.

– A proposta do Governo do Estado de aumentar de 10,23% da UPF para 200% do valor da UPF sobre a tonelada do algodão transportado, ameaça a viabilidade da cadeia do algodão em Mato Grosso.

– Ao invés de aumentar receita para o Estado, a proposta do Governo do Estado pode representar efeito contrário, uma vez que existe grande possibilidade de queda na produção, devido a atividade passar a não ser mais atrativa.

– O setor produtivo já paga impostos e representa mais de 50% do ICMS arrecadado no Estado.

– Infelizmente o Novo Governo quer aumentar o peso da mão do Estado sobre aquele que produz algodão, para suprir a ineficiência da administração pública.

Alexandre Schenkel
Presidente da Ampa

 

Direto da Redação, Sandra Costa

5 recomendado
comments icon 0 comentários
bookmark icon

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *