FGV: alimentos pressionam menos inflação ao consumidor em fevereiro

11 de fevereiro de 2019


A alta mais branda nos preços dos alimentos ajudou a desacelerar a inflação ao consumidor na primeira prévia de fevereiro do Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC-M) subiu 0,14% no primeiro decêndio de fevereiro, após a alta de 0,38% registrada na primeira leitura de janeiro.

Quatro das oito classes de despesa registraram taxas de variação mais baixas, com destaque para o grupo Alimentação, que passou de 0,71% na primeira prévia de janeiro para 0,12% na mesma leitura de fevereiro. O item hortaliças e legumes passou de alta de 5,54% para queda de 5,45% no período.

Os demais decréscimos ocorreram nas taxas de variação dos grupos Vestuário (de 1,46% para -0,22%), Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,53% para 0,06%) e Habitação (de 0,33% para 0,16%). Houve influência dos itens roupas (de 1,63% para -0,69%), artigos de higiene e cuidado pessoal (de 1,47% para -1,42%) e taxa de água e esgoto residencial (de 1,93% para 0,00%).

Na direção oposta, as taxas foram mais elevadas em Educação, Leitura e Recreação (de 0,20% para 0,95%), Transportes (de -0,19% para -0,11%), Comunicação (de -0,02% para 0,09%) e Despesas Diversas (de 0,06% para 0,13%).

As contribuições mais relevantes foram dos cursos formais (de 0,00% para 2,03%), tarifa de ônibus urbano (de -0,39% para 2,24%), pacotes de telefonia fixa e internet (de 0,00% para 0,31%) e cartório (de -0,03% para 2,64%).

(Daniela Amorim – [email protected])

2 recomendado
comments icon 0 comentários
bookmark icon

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *