Em entrevista ao LTV, turistas portugueses falam sobre suas impressões do Brasil e MT; vídeo

13 de dezembro de 2018


O LTV recebeu em seus estúdios a Polícia de Segurança Pública, Fernanda Ferro, e o Militar, Rui Fernandes, dois simpáticos turistas portugueses que estão passando as férias em Mato Grosso, para bater um papo descontraído e saber suas impressões sobre o Brasil.

Fernanda e Rui demonstram sentir muito carinho pelo nosso país. “O Brasil é um filho dos portugueses. Apesar de que quando a gente descobriu o Brasil já haviam os nativos, acho que ficou uma relação pai, mãe e filho, portanto, o sangue acho que é praticamente igual, por isso existe a facilidade da gente se familiarizar com o povo brasileiro”, diz ela. “São culturas diferentes, mas Brasil e Portugal não deixam de ter coisas em comum, a própria língua e alguns costumes também”, completa Rui.

Pela quarta vez no país, Ferro explica que na primeira vez em quem foi em São Paulo, ela sentiu um choque, porque não estava acostumada com uma cidade tão grande. “Eu não estava habituada a isso, eu vivia numa cidade do interior- Bragança- onde o campo é nosso ar”, conta ela, que há 10 anos não vinha ao país.

Já para Rui, essa é a primeira vez. Ele conta que está adorando a experiência e que, de todos os estados que ele conheceu, seu preferido é o Mato Grosso. “Muito verde, transpira-se muita alegria também, estou adorando”, afirma.

Questionados sobre a impressão que se tem do Brasil na Europa, Fernanda é enfática ao dizer que a palavra que vai à cabeça dos portugueses quando se fala do nosso país é a insegurança. No entanto, ela conta que não se sentiu assim ao chegar aqui. “Não senti isso na parte de Mato Grosso, e nem em São Paulo senti tanta insegurança. O lugar onde eu realmente me senti insegura foi Rio de Janeiro”, revela.

Os turistas contam que o estado mato-grossense tem um significado especial, pois se sentem como se estivessem no continente africano, por conta do clima e da terra vermelha. “Há uma situação que mexe muito comigo e também com Rui. Nós somos portugueses, mas eu nasci em Moçambique, e o Rui nasceu em Angola. O engraçado é que, quando chego em Mato Grosso, não sei por que, mas sinto que estou na África”, explica Fernanda.

Uma nação que vive um dos seus melhores momentos, Portugal tem sido um dos principais polos turísticos europeus. Esse crescimento, segundo Ferro, é devido ao empenho que o país tem para fazer marketing externo – algo que falta no Brasil. “O turismo cresce porque não é no próprio país que se chama o turista, tem que fazer um trabalho e passar lá pra fora, e divulgar o nosso país. Acho que é isso que está faltando no Brasil: pouca propaganda de como pode ser o turismo aqui, mas o turismo positivo”, diz ela, ressaltando que o turismo negativo – como criminalidade, prostituição- não traz benefício algum.

Quando interrogada sobre o possível motivo de tantos brasileiros decidirem viver no país português, Fernanda considera que a língua é um grande facilitador, além da segurança e oportunidades. “Talvez [em Portugal] sejam criadas condições para as pessoas terem uma melhor forma de vida do que no próprio país”, acredita.
Perguntado sobre a bem-sucedida política esquerdista lusitana, a portuguesa entende que a “segurança, saúde e educação “ são a base para o sucesso do governo de qualquer país. “A partir daí, tudo vai fluir”, pondera. “Como é que o turismo pode realmente ser positivo num país se nesse país o que se passa lá fora é a insegurança?”, questiona Fernanda.

“Um país de dimensão que o Brasil tem, em relação a Portugal, custa-me ouvir – porque já ouvi- um país tão lindo, tão acolhedor, que estou adorando, tenha tido 6 milhões de turistas, enquanto Portugal, com a dimensão que tem, teve 12 milhões. Portanto, para que se veja a aposta forte do governo português na segurança, na educação e na saúde, que são os três pilares”, argumenta Rui.

Segundo Ferro, poder viver tranquilamente e sair à noite sem medo de ser assaltado ou sofrer algum tipo de violência é uma das melhores vantagens do país europeu. “Tem que tomar certas precauções, mas, de qualquer maneira, o fato de você ir aqui ou ali ás 10 ou 11 h da noite, e não ter problemas, acho que isso cria na própria pessoa um bem-estar, e talvez seja um lugar certo para viver”, completa.

Quando são questionados sobre a culinária portuguesa, eles são unânimes em citar o bacalhau como um dos principais pratos típicos. “Tem que ser acompanhado de um bom azeite, senão perde a qualidade”, Fernanda dá a receita.
Simpáticos, os viajantes demonstram conhecer bem os ritmos musicais brasileiros. “Gostou de todo tipo de música brasileira, forró, funk, samba”, cita a lusitana, destacando ainda que adora o nosso sotaque.

Extremamente agradáveis, encerram a entrevista fazendo um convite para ir a Portugal. E para quem deseja conhecer a música portuguesa, Ferro dá a dica. “Começa a ouvir o fado da Mariza, é lindo”, indica.

Confira a conversa completa no vídeo:

Direto da Redação, Maisa Martinelli/ Iury Lupaudi

5 recomendado
comments icon 0 comentários
bookmark icon

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *